“Se Deus te deu o dom, se cresce não mano… É que cê ta devendo por três”

Em tempos distópicos, persistir nos sonhos utópicos é uma forma de resistência, firmar a vida na resiliência é ter fé de que podemos ir além. Acreditar, seguir, mas quantas vezes perseguir e ter que lutar contra a injustiça que reina e ainda ser negado o direito à arte, a cultura, a história ou a nossa própria […]

Leia mais “Se Deus te deu o dom, se cresce não mano… É que cê ta devendo por três”

No labirinto de Escher

Às vezes padecemos na nossa própria loucura, deixamos que ilusões doentias tomem conta da nossa razão. Percebemos nossa humanidade errando, reencontrando nossa fragilidade em dias confusos e pertubadores, quando a sanidade mostra sua face insana. E Mesmo quando a vergonha, nos humilha e a culpa nos corrói,  somos obrigados a continuar, a pagar o preço […]

Leia mais No labirinto de Escher

Cadê meu botão de pause?

Depois de milhares (tudo bem eram só 12, eu contei) de abas do navegador abertas e o dia amanhecendo. Percebo que mais uma vez não terminei nada, mais um texto pela metade, mais um vídeo pela metade, mais trabalhos pendentes para resolver. As pernas continuam seus sacolejos, e esse parágrafo foi escrito entre muitas idas […]

Leia mais Cadê meu botão de pause?